quarta-feira, 18 de maio de 2011

Resquícios do fim-de-semana.

Os olhos descem-lhe na diagonal pelo vestido, demoram-se mais tempo no preciso espaço em que o vestido acaba e surgem as pernas dentro das meias, e continuam em descida vertiginosa até aos pés, onde parecem adormecer-se.
- Como sabes quem sou?
Levanta a fronte ruborizada. Tosse. Acaba a bebida de um trago. Aclara a voz. Gagueja.
Sorrio de mim para mim.
Há anos que assim é. Continua, no entanto, a causar-me sempre alguma estranheza que as outras pessoas me conheçam, saibam o meu nome, onde trabalho, onde vivo e eu não saiba nada delas. É que não faço a mínima ideia de quem são, até ao dia em que me confrontam com as suas existências.

No dia seguinte, num restaurante ao qual fui apenas duas vezes e onde, tenho a certeza, nunca me apresentei devidamente, uma das empregadas tratou-me pelo meu nome. Engoli a estupefacção com a canja.

5 comentários:

Anónimo disse...

És tu ou o teu contrário??????

Gafanhoto

Dança dos Dias disse...

Não percebi o sentido da pergunta...

Eu próprio... disse...

Não andarás com um post-it colado por alguém com o teu nome escrito?? :-)

Dança dos Dias disse...

Juro que não!

Eu próprio... disse...

Hummm...serão problemas teus de memória??