quarta-feira, 18 de maio de 2011

A quarta-feira.

Primeiro, uma quarta-feira era apenas uma quarta-feira. Um dia depois da terça, um dia antes da quinta.
Agora, uma quarta-feira não é somente uma quarta-feira, é a quarta-feira. Agora, a quarta-feira vai-me alojando no peito estilhaços de uma bala perdida que veio contra mim sem aviso prévio. Agora, a quarta-feira deixa-me um travo, demasiado amargo, na boca.
Odeio a quarta-feira.

Um dia destes, ainda começo a odiar, de igual forma, o fim-de-semana. Espero que não. Espero que não.

2 comentários:

Observador disse...

Temos pessimismo à solta?

:(

Dança dos Dias disse...

Eu sempre tive algum pessimismo. Felizmente, este surge em pequenas doses não letais. =)