quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Oh não! Outra vez, não!

Depois da mãe de Renato Seabra, depois da irmã de Renato Seabra, depois do cunhado de Renato Seabra, depois do pai de Renato Seabra, depois da companheira misteriosa de Renato Seabra, depois do tio de Renato Seabra, ainda ouviremos o periquito de Renato Seabra, o canário de Renato Seabra, o peixinho de Renato Seabra, o hamster de Renato Seabra, dizerem algo sobre o assunto?
Será que sou a única pessoa que já não tem estômago para esta merda?
Isto faz-me lembrar os mirones, os voyeurs que vêem um acidente na estrada e ficam ali, a observar sem fazerem nada, numa espécie de masturbação psicológica, como se verem as vítimas de um acidente, o cheiro a sangue e morte, lhes desse uma tusa do caralho.

Como se não bastasse, o Sr. Carlos Silvino, carinhosamente tratado por Bibi, esse grande querido, amoroso como só ele sabia ser com os meninos, lembrou-se agora de vir dizer que mentiu em todo o processo Casa Pia e, afinal de contas, todos os arguidos (coitadinhos) são inocentes.

Bom, resta saber qual destas duas novelas fará mais capas de revistas, terá mais títulos nas primeiras páginas dos jornais, ocupará mais direito de antena no Jornal das oito.
Isto vai ser do caralho, ai vai, vai.

2 comentários:

Observador disse...

Anedotas que se sucedem.

Anónimo disse...

Correcção: isto foi-se o caralho, ai foi-se, foi-se.

J.A.