segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Juro.

Ele gritava que era cirurgião, que não podia chegar atrasado, que tinha que estar não sei onde às não sei quantas horas.
Tudo isto enquanto gesticulava com o jornal A Bola na mão direita.

1 comentário:

Observador disse...

O homem tinha que pôr a leitura em dia.
Depois ... logo se veria.