sábado, 26 de novembro de 2011

Obviamente, não lhe doía a ridicularização. Afinal de contas, era um ser completamente desfasado da realidade. Não sentia o escárnio. Não compreendia a ironia dos outros que se lhe colava à pele. Mas pergunto eu, a troco de quê? Depois de umas quantas gargalhadas que, a um dado momento, também findam, quanto mais não seja pelas dores de estômago provocadas, o que leva um ser humano a ridicularizar outro repetidamente? É a mesma coisa que ouvir mil vezes a mesma anedota e, ainda assim, conseguir-se rir na milésima vez o que se riu na primeira. 


E, após tudo isto, que resta? Um amor verdadeiro pela música? Que mal poderá isso ter, uma pessoa entregar-se ao que quer? Haverá, por acaso, maior liberdade que esta? A da entrega sem reservas? Que fosse louca, que fosse. Os loucos têm coragem para fazer aquilo que as pessoas comuns não têm e, mais dia menos dia, morremos todos, é o que é. Os loucos, pelo menos, não vivem limitados. Que sejam loucos. Que sejam. Eu também sou.

10 comentários:

dEUsA disse...

Miúda... gosto tanto quando escreves assim...
Lembra-me sempre o pq de este ser um dos poucos "livros abertos" que ainda gosto de visitar...
Beijinhos desta tb louca... :)

PS: ando a pensar em reabrir o atribulações... talvez como prenda para mim de inicio de 2012...

Dança dos Dias disse...

Não tens o direito de me deixar a babar para o teclado...
Espero bem que voltes!

Anónimo disse...

Hesito...
Se disser igualmente que gostei (muito) isso faz de mim "uma louca"?

J.A.

Dança dos Dias disse...

J.A., o uso do género feminino ou masculino no que se refere à tua pessoa, só poderá ficar ao teu critério.
Nesse tipo de assuntos... não me meto.

Anónimo disse...

Assim sendo, este "ganda maluco" gostou muito (mais uma vez) do que leu, ao ponto de achar que alguns destes textos esparsos (e outros que se seguirão) merecem ser coligidos numa só obra.

J.A.

Dança dos Dias disse...

J.A., se te comprometeres a tratar da recolha dos mesmos, se te comprometeres a tratar da sua posterior publicação com os os meus direitos de autora incluídos, agradeço-te no fim.

Anónimo disse...

As mulheres e a necessidade do compromisso...vou comprar tabaco e já volto.

J.A.

Dança dos Dias disse...

Ai vais?
Traz para mim também. Vê lá se não demoras muito que ainda tens que lavar a loiça e o chão da cozinha.

Anónimo disse...

Honey, I'm Home!

J.A.

Wolve disse...

Também viu o documentário sobre a natália de andrade?

É verdade que para muitos foi motivo de escárnio, tanto cá como lá fora, mas muito daquilo que agora se mostra como escárnio era feito por gostarem dela. As festas que agora parecem troçantes, algumas eram carnavais por ela. Para ela.