segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Vida de gaja.

Uma gaja já não pode ser apenas uma gaja que gosta de vernizes e maquilhagem, roupas e sapatos, carteiras e chapéus. Uma gaja já não pode dar-se ao luxo de perder horas a verificar se o maldito bronzeado não deixou manchas; se o cabelo não tem pontas duplas ou se o liso não deu lugar a frisado e o frisado a liso; se o verniz não estalou; se o eyeliner não saiu, o rímel não borrou as trombas ou se o baton não migrou para os dentes; se a pele continua sedosa ou se o desodorizante não deixou manchas quando se vestiu a roupa. 
É uma chatice que, para além destas e outras coisas que tanto tempo roubam à vida de uma gaja, ainda tenha que se ser inteligente e de humor requintado.

7 comentários:

L'Enfant Terrible disse...

E depois existem as outras, aquelas a quem se pergunta se é irmão de quem!

Dança dos Dias disse...

Também existem alguns a quem se pergunta se não é irmã de fulano ou sicrano. É. Pois é. A vida tem destes mistérios maravilhosos.

Anónimo disse...

Para mim dou de barato essa tal coisa da inteligência e do humor. Sou intransigente quanto a tudo o resto.
"Gaja" minha corre sempre o risco de me ouvir dizer: "Isso é lá eyeliner que se apresente a um gajo?!" Ou mesmo: "Não me dês por adquirido, estou farto dessas tuas pontas duplas!!".
Há coisas das quais um gajo não pode abdicar...

J.A.

Dança dos Dias disse...

Ser-se gaja em pleno século XXI, sem uma única aia para dar uma ajudinha é uma grande aborrecimento, é o que é.

Anónimo disse...

Ser-se gajo em pleno século XXI, sem um único pajem para dar uma ajudinha (que coisa tão abichanada...) é um grande alívio, é o que é.

J.A.

Filipa Arez disse...

loool parti-me a rir, como compreendo!

Sisnando disse...

Preocupa-te antes com a qualidade de vida... substancial!

Topas?