quinta-feira, 9 de junho de 2011

O pão nosso de cada dia.

Ela e Narciso tinham muito em comum.
Ela amava-o e ele amava-se.

5 comentários:

dEUsA disse...

Magnifico... adoreiiii!!

Anónimo disse...

Só se apercebeu que o seu amor não era correspondido quando, tocada pela natural vocação da maternidade, Narciso lhe comunicou que apenas a engravidaria por inseminação artificial.

J.A.

Anónimo disse...

É o que se chama " Bacalhau à Narcisa"

Sai uma dose ali para os lados do arco-cego mais propriamente na Duas Amazonas.

Gafanhoto

Observador disse...

Narcisistas!

Narizinho Lunático disse...

Ah! Ah! Ah! Há muito disso por este mundo fora, sem dúvida! :p Beijinhos