domingo, 5 de junho de 2011

Dança dos Dias, a incompreendida, ou como eu tenho um trauma de infância.


Estas pérolas, escritas pela minha professora na escola primária, são a prova de que eu, Dança dos Dias, sempre fui injustiçada.








Se quiserem ler melhor, é só clicar nas fotografias.



Era para escrever qualquer coisa em relação aos resultados das eleições, porém, não me apeteceu.
Se quiserem ler sobre isso, saiam deste blogue e entrem noutro. Fechem a porta ao sair, fofinhos.

16 comentários:

Eu próprio... disse...

Gostava de saber a ordem correta dessas avaliações. Cá para mim passaste de boa líder e bem aceite pelos colegas para o é pouco amiga dos colegas e gosta de impor a sua vontade.
Cheira-me a ditadora em potência...

André disse...

Estás a brincar, escreveste mesmo sobre as eleições. Isto são as avaliações do Sócrates.

Anónimo disse...

HUmm..

O optimo é inimigo do bom.


Gafanhoto

Dança dos Dias disse...

Eu próprio...
Já não me recordo bem, mas deve ter sido qualquer coisa assim.
Os meus colegas é que nem sempre sabiam pôr-se no lugar deles.
Uma cambada de ingratos, isso sim! Depois de tudo o que eu fiz por eles!
Que tristeza, eu bem digo que sempre fui injustiçada.

Dança dos Dias disse...

Ó André, porra, não carece que me ofendas... Não, não.
Eu sempre fui melhor que o Sócrates, que nunca tirei a ninguém a liberdade de expressão.
Porra, as avaliações do Sócrates. Ai.

Dança dos Dias disse...

Gafanhoto, o óptimo vem depois do bom. Não são inimigos!

Eu próprio... disse...

Essa conversa da incompreensão dos colegas, depois de tudo o que fizeste por eles...isso é conversa de Socrates!!
Tens que mudar o discurso porque agora vem aí o ano do coelho

Dança dos Dias disse...

A mim, parece-me mais o ano do rato.
Pode ser que um dia se faça homem.

Anónimo disse...

"Dança dos Dias, a incompreendida (por alguns, aqueles que nada significam para mim) ou a prova inequívoca em como o meu querido e adorado J.A. não se enganou ao reconhecer o meu inegável talento".
Se não fosses ingrata, era este o título que deverias ter escolhido!!

P.S. Ok, ok, talvez o "querido e adorado J.A." seja excessivo...por enquanto.

J.A.
(claro que tinha que ser eu...).

Dança dos Dias disse...

J.A., queridinho, já estava aqui com o coração apertado, pensando que me tivesses abandonado!
Olha, então fazemos o seguinte, escreves qualquer coisa bonitinha que eu transformo num post, com os devidos direitos de autor reconhecidos, obviamente!

o anão gigante disse...

Eu, eu, eu,

... qual era o outro assunto?

Dança dos Dias disse...

Anãozinho, meu cabeçudo mai lindo da titi, então o "eu" não é um bom assunto?! Oh, tenho andado enganada, querem ver?! Pensava que sim.
Não tenho mais nenhum assunto, mas aceito sugestões, sim?

Anónimo disse...

É claro que não te abandonei, apenas me afastei para melhor contemplar todo o teu esplendor.

Pedes-me que escreva qualquer coisa que possas transformar quando o que mais anseio é brindar-te com o perene e imutável.
Talvez um dia aceite o repto. Não certamente no dia em que a inspiração se contristou por se saber, afinal, transpiração de alguém.

J.A.

Dança dos Dias disse...

J.A., J.A., mas que aconteceu?
Tens que me explicar melhor isso, sim?

Anónimo disse...

Foi o que consegui arranjar...mas já percebi que não foi suficientemente bonitinho. És o meu público mais exigente!
Resmas e resmas de blogs "matariam" para terem direito a umas palavrinhas daquelas, essa é que é essa!

J.A.

L'Enfant Terrible disse...

Sabe-se lá se isso é teu!