quinta-feira, 12 de maio de 2011

Constatações.

Não deixa de ser irónico que as pessoas de quem mais gosto sejam as únicas com poder suficiente para magoar-me e desiludir-me. Não é o ficar zangada, porque isso acontece numa primeira fase e logo passa. É o ficar triste. Apenas triste.
O número de pessoas de quem gosto é muito reduzido mas, às vezes, pergunto-me se não seria muito mais fácil não gostar de ninguém. 

2 comentários:

Observador disse...

DD

Sabemos que existe a tendência, sádica mas natural, de magoarmos aqueles de quem mais gostamos.

;)

Eu próprio... disse...

Seria mesmo muito mais fácil. Por essa razão tenho vindo a reduzir o número ao longo dos anos...